Histórias das Casas do Amparo

 

Em Janeiro de 1994, a Casa do Amparo que estava na Pompéia, abrigou os menores Alex então com 6 anos de idade, Ana Paula com 7 anos e Simone com 12 anos, irmãos muito unidos, que foram abandonados pela mãe, que simplesmente não tinha como alimentá-los. Esses menores, ao longo desses anos todos, foram criados e sustentados pela Casa do Amparo.
Hoje, já foram desabrigados, pois Alex já com 19 anos trabalha numa loja de Surf, Ana Paula com 20 anos foi contratada pela Casa do Amparo do Butantã com carteira assinada e ali trabalha como arrumadeira e Simone com 25 anos, trabalha numa escola. Em Maio deste ano, fomos surpreendidos com uma carta que veio de Oslo na Noruega contendo a fotografia de uma jovem muito bonita, com 17 anos, vestida com trajes típicos noruegueses e uma carta em inglês, dizendo-se irmã dos nossos três personagens.
Seu nome é Silvia. Nela, historiou que foi adotada por um casal da Noruega quando era pequenininha, mas nunca esqueceu que tinha 3 irmãos no Brasil. Tanto insistiu com a mãe, que acionou a Embaixada da Noruega em nosso país, que conseguiu através das autoridades brasileiras localizar a Casa do Amparo.
A notícia deixou em polvorosa os 3 irmãos, já que Silvia dizia que viria em breve ao Brasil para conhecê-los. De fato em Agosto p.p. Silvia acompanhada de sua mãe chegou a São Paulo e foi de imediato ver os irmãos.
Presenciei então um encontro com muita emoção entre estes 4 irmãos, onde se trocavam muitos abraços e muitos choros de felicidade, tudo por meio de mímica, já que nenhum dos 4 falam inglês. Silvia ficou 3 dias em São Paulo, conhecendo a cidade na companhia dos irmãos indo a passeios, restaurantes e museus.
Ao se despedir, ficou de retornar ao Brasil, para curtir o próximo Carnaval em companhia de sua família. Até lá alguns dos 4 já estarão arranhando o inglês, para melhor se comunicarem.